NOSSA JORNADA

Visando atender a categoria regida pela lei 1080/08, o SINDCAESP foi fundado com bases solidas na legalidade e defesa dos interesses do servidor público administrativo do Estado de São Paulo.

Resultados

​​

A grande mobilização dos servidores é fato incontestável. Nunca na história do Estado houve tanto contato entre as carreiras. O sindicato, como ferramenta de coesão tem cumprido o seu papel. 

Os servidores da 1080/08 não querem nada além de valorização. 

NOSSA VEZ, NOSSA VOZ !!!!

Estratégia

​​

Todo embate, seja jurídico, seja trabalhista ou entre relações somente surte efeito se a balança pesar mais para um lado. Decisões unilaterais dos governantes geralmente são vencidas pela união dos funcionários. A união dos peões consegue gerar o xeque-mate. Nossa luta é guiada pela categoria. Sem ela nada é possível ser realizado. Dentro destes fundamentos, norteamos todo o planejamento estratégico da organização sindical.

Planejamento

​​

Estamos traçando metas e percorrendo os caminhos dentro da administração pública estadual para poder proporcionar aos servidores administrativos regidos pela lei 1080/08 do Estado de São Paulo, maior qualidade de vida possível.

Principais metas:

  • Desenvolver uma estrutura administrativa que estabeleça a ascensão profissional dos servidores da lc 1080/08, tornando a progressão vertical, e não horizontal como atualmente.

  • Lutar pelo fim dos cargos de livre provimento na estrutura administrativa.

  • Lutar pelo fim da terceirização do setor, que acaba por promover o declínio da carreira administrativa.

  • Valorização e reconhecimento da carreira administrativa.

  • Promover a unificação da categoria, visando dar maior visibilidade à mesma, em todas as Secretarias de Estado.

Desde a promulgação da Constituição Federal no ano de 1988, o Brasil vive um regime democrático que, em parte, foi responsável pela evolução organizacional de nossa nação. Digo em parte, pois a responsabilidade de imprimir essa visão no contexto da população foi, e continua sendo, das lideranças de classe.

A construção da comunidade brasileira é obra conjunta de um povo guerreiro, que por muito tempo lutou e dedicou a própria vida por essa paixão. O verdadeiro amor pela nação foi o combustível que nos permitiu atravessar a ditadura, e hoje é o que deve nos impulsionar na reconstrução desta que, no decorrer dos últimos anos, despontou no cenário mundial como uma grande nação.

A busca pela conquista de direitos coletivos na área trabalhista, iniciada com a promulgação da tão conhecida CLT, e endossada pelo texto da Constituição Federal, alcançou seu ápice nas décadas de 70, 80 e 90, quando os movimentos representativos organizados atuaram de forma incisiva. Assim nascia o grande movimento sindical brasileiro.

Bem sabemos que existem, no mínimo, dois lados em toda relação. No caso da relação trabalhista, temos o lado Patronal e o lado Laboral.

A gestão pública ocupa a posição de Laboral, em nosso caso. Mas para que haja relação, se faz necessária a existência de Entidades de Classe para fazer frente aos gestores. A ausência dos representantes dá carta branca aos gestores, que passam a adotar as medidas que julga (e raramente por critérios justos, pois isso deriva da condição moral do gestor) serem as melhores (pra quem, é outra história).

No serviço público, o equilíbrio entre motivação profissional e satisfação do público é o termômetro da eficiência. Logo, a elevação de um em detrimento do outro é inadmissível. Por conta desse desequilíbrio oriundo de gestões imparciais, injustas e desrespeitosas, o desenvolvimento da relação Laboral/Patronal no serviço público se deu em um ritmo diferente.

Vivemos uma completa diferenciação dos sistemas de gestão privados. O serviço público é gerenciado através de leis normativas, regentes, como as famosas "Leis Orgânicas". Essa diferenciação, baseada na existência de leis regentes específicas, nos lança em um ambiente jurídico distinto do trabalhista. Estamos no âmbito civil.

No caso dos servidores públicos do regime estatutário da Área Meio, ou administração direta, o ritmo foi ainda mais lento.

Os Sindicatos se formaram em torno de carreiras específicas, mas a base do Serviço Público, formada pelos Servidores da Lei 1080/08, que engloba os concursados pelas Leis Complementares 500/74 e 712/93, permaneceu a deriva.

Em virtude da ausência de representação específica, somada a gestão desequilibrada, durante os últimos anos, esses Servidores experimentaram um extremo achatamento de sua remuneração.

No dia 16 de junho de 2014, um grupo ousado de Servidores regidos pela Lei Complementar 1080/08, unidos desde 2008 lutando por melhorias na Área Meio, realizou a Assembleia Geral que mudou a história da carreira 1080/08. Neste dia nasceu o SINDCAESP.

Durante longos anos, os Servidores da Administração Direta vêm desempenhando muitas funções operacionais dos mais diversos níveis de complexidade, necessitando, claramente, de uma reorganização das atividades, juntamente com o reescalonamento dos níveis salariais de forma justa e equiparada a responsabilidade dos mesmos. Esse quadro demonstra a clara necessidade de uma reestruturação em nossa carreira, o que motivou ainda mais os fundadores.

A primeira diretoria eleita é composta por Servidores que, de longa data, dedicam seu tempo aos interesses dos Servidores Administrativos.

O Programa de Modernização e Valorização de Recursos Humanos do SINDCAESP, elaborado pelo Presidente, Tiago Lemos, visa, antes de tudo, a reorganização das Atividades Administrativas e de Apoio Operacional nas mais diversas Secretarias, além de efetivamente tornar a promoção algo real.

Desde sua criação, o projeto recebeu o nome de Programa Buscando a Excelência. Ele é resultado de uma série de pesquisas jurídicas e profissionais.

Mas antes de iniciarmos uma mudança funcional, é preciso que cada um entenda nossa condição como Servidores da Administração Direta, tendo limitações que impedem mudanças mais drásticas. Afinal, a grande batalha do sistema judiciário é fazer justiça dentro da legalidade. Hoje a transformação de nossas carreiras em outra é inconstitucional, mas para resolver isso basta uma Emenda Constitucional que altere o texto que impede esta mudança.

Parece simples, mas essa mudança deve ocorrer inicialmente na Constituição Federal, depois na Estadual.

Hoje nós exercemos atividades que não são compatíveis com as originais, mas nem sempre foi assim. Houveram tempos em que apenas fazíamos nosso trabalho. Mas quando isso mudou?

Quando os Servidores se vêm entre poucos colegas é comum que venham Servidores da Área Fim para cobrir as funções administrativas, pois essa sim é essencial. Com essa mistura, a qual é muito comum na Educação, na SAP e na Polícia Civil, muitas atividades começam a se misturar. Com isso, nossas responsabilidades crescem ao se misturarem às responsabilidades dos Servidores da Área Fim. Como exemplo temos os Servidores Administrativos e de Apoio da Polícia Civil, que recebem armas, drogas, conduzem viaturas, servem de Escrivães Ad-Hoc, dentre outras.

Nas escolas e Diretorias de Ensino, os cargos de chefia administrativa são ocupados por professores readaptados, nas Delegacias por Policiais, na Saúde por Enfermeiros... Na Segurança Pública sempre foram ocupados por Policiais. Afinal, quando teremos nosso reconhecimento? Neste ritmo, nunca! Precisamos entender que não somos profissionais multi-tarefa ou tapa-buraco, somos  Administrativos.

O primeiro passo para o reconhecimento é a aceitação. Tudo que fazemos além, não é reconhecido e, por lei, não pode ser remunerado.

Recentemente, após a transformação do DETRAN em Autarquia, muitos servidores têm sido reconhecidos por conta de sua excepcional competência. Isso deve-se a compreensão do então Coordenador Geral do DETRAN, Daniel Annenberg, que após conhecer o projeto o levou ao conhecimento da Secretaria de Gestão Pública, onde fomos posteriormente recebidos.

Toda esta transformação demanda tempo e esforço.

A criação do SINDCAESP representa mais que uma simples fundação sindical, trata-se da re-união dos Servidores 1080 espalhados pelas mais diversas Secretarias, vivendo (ou sofrendo) com questões peculiares. Por isso vamos trabalhar para que tudo que se faz necessário possa torna-se uma realidade...

Contamos com a colaboração de todos os Servidores, pois não chegaremos a lugar algum sem união...

Rua Refinaria Mataripe, 428 - Vila Antonieta

CEP 03477-010

São Paulo - SP

Contato telefônico:

(11) 2688-1920

Contato eletrônico

secretaria@sindcaesp.com.br

Orgulhosamente criado por Netto & Lemos

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now